Início » Saúde » Tabagismo: um grave problema

Tabagismo: um grave problema

Olá leitores e leitoras do blog. Durante a semana toda fiquei pensando em um assunto que pudesse ser atraente, importante e que, de certa forma, pudesse ajudar aquele que lê ou conhecidos e/ou parentes desses. E cheguei a conclusão de que o tema tabagismo era a bola da vez. Dificilmente pelo Brasil e no mundo encontramos pessoas que não fumam. Claro que ainda existem aqueles, de bom senso, que não colocam um cigarro ou charuto na boca de jeito algum.

Infelizmente, mesmo aqueles que não fumam ativamente acabam se tornando fumantes. Eles são conhecidos como fumantes passivos, pois estão inalando a fumaça liberada pelo cigarro e charuto de alguma pessoa que esteja próxima. E acaba sendo difícil não nos tornarmos fumantes passivos, mesmo quando não queremos.

Em uma visita ao site do Brasil (www.brasil.gov.br), pude ver alguns dados assustadores que passo agora para você, leitor (a).

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), um terço da população mundial é fumante. Isso quer dizer que cerca de 1,3 bilhão de pessoas tem algum contato com substâncias tóxicas. Através da leitura consegui fazer uma interpretação triste: quanto mais um país é desenvolvido, maior o número de fumantes. E pesquisas revelam que nesses países desenvolvidos, 42% dos homens e 24% das mulheres são fumantes.

No Brasil, 18,8% da população é fumante – 22,7% dos homens e 16% das mulheres. Esses índices são com bases no levantamento feito pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o Ministério da Saúde.

O tabagismo causa, em média, 5 milhões de vítimas fatais todos os anos. Segundo a OMS, em 20 anos esse número será dobrado, podendo chegar a 10 milhões de mortes por ano. Mas isso, é claro, se o consumo de cigarro, charuto e cachimbo continuar a ser crescente. No nosso país, 23 pessoas vão à óbito a cada hora. Isso represente 200 mil mortes em um único ano.

As consequências para aqueles que fumam não são nada boas. O tabaco está associado a 50 doenças (câncer de pulmão, de boca e de faringe).

Estudos mostram que o tabagismo é responsável por:

• 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos);

• 85% das mortes são causadas por bronquite e enfisema;

• 45% das mortes causadas por doença coronariana na faixa etária abaixo dos 60 anos;

• 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos;

• 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero);

• 25% das mortes causadas por doença coronariana – angina e infarto do miocárdio;

• 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral)

Você vai ver abaixo, dicas de como abandonar o vício. O que você deve fazer para parar definitivamente de fumar e se tornar um ex-fumante. Veja!

Especialistas aconselham as pessoas a marcar uma data para largar o vício. Há dois métodos para parar de fumar: imediatamente ou gradualmente. O método mais adequado é a parada imediata, no qual você marca uma data e, a partir desse dia, não fuma mais nenhum cigarro. Esta deve ser sempre sua primeira opção. Outra alternativa é parar gradualmente, reduzindo o número de cigarros ou retardando a hora do primeiro cigarro do dia. Mas você não deve gastar mais de duas semanas, pois pode se tornar uma forma de adiar, e não de parar de fumar.

Para reduzir o número de cigarros, diminua um pouco a cada dia. Por exemplo, uma pessoa que fuma 30 cigarros por dia, no primeiro dia fuma os 30 cigarros usuais, no segundo dia 25, no terceiro 20, no quarto 15, no quinto 10 e no sexto fuma apenas 5 cigarros. O sétimo dia é a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros.

Ao retardar a hora do primeiro cigarro, o fumante deve proceder com o mesmo método gradual. Por exemplo, no primeiro dia você começa a fumar às 9h, no segundo às 11h, no terceiro às 13h, no quarto às 15h, no quinto às 17h e no sexto às 19 h. O sétimo dia é a data para deixar de fumar e o primeiro dia sem cigarros.

Lembre-se também que fumar cigarros de baixos teores não é uma boa alternativa. Todos os tipos de derivados do tabaco (cigarros, charutos, cachimbos, cigarros de Bali, etc.) fazem mal à saúde. Cuidado com os métodos milagrosos para deixar de fumar. Caso não consiga parar de fumar sozinho, procure orientação médica.

O importante é buscar uma vida mais saudável, com a prática de exercícios e abandono dos vícios. Está mais que provado que fumar não traz benefício alguma, pelo contrário, só traz problemas, dor de cabeça para quem fuma e até para quem não fuma, e te faz perder bons anos da sua vida. Viva bem, viva melhor, viva com saúde. E viver com saúde é viver sem vícios. Começa já a parar de fumar. Deixe os discursos de lado e passe para a ação.

* Deixe sua mensagem através dos comentários ou no e-mail do blog: nossaconversa@hotmail.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s